O Ministério Público Eleitoral propôs ação de impugnação à candidatura do prefeito de Inhambupe e pediu à Justiça o indeferimento do registro de Fortunato  Costa,  em função da rejeição das contas do gestor pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) no exercício de 2018.

De acordo com a promotoria, que requer ainda informações da Câmara de Vereadores sobre o julgamento político da prestação, as irregularidades praticadas pelo candidato à reeleição “caracterizam ato doloso de improbidade administrativa”. Entre as principais infrações, segundo o MPE, estão despesa de pessoal incompatível com a Lei de Responsabilidade Fiscal; baixa cobrança de dívida ativa; desequilíbrio fiscal e falta de transparência pública.


“As irregularidades identificadas nas contas prestadas pelo impugnado, submetidas ao controle do TCM, ostentam natureza insanável e enquadram-se como ato doloso de improbidade administrativa, já tendo ocorrido o trânsito em julgado na esfera administrativa perante a Corte de Contas”, salienta o promotor Saulo Rezende Moreira, que assina a ação. Com informações, Politica Livre / Foto David Gouveia

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem