Trabalhadores em educação das redes municipal e estadual de ensino de Inhambupe, estudantes, sindicatos e movimentos sociais, vão aderir a paralisação nesta terça-feira (13),  contra a reforma da Previdência, em defesa da educação pública gratuita, contra a privatização e cortes nos investimentos da educação.

A paralisação, que deve acontecer também em outras cidades do Brasil, terá apoio da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação).

Neste dia, alunos não terão aula. Conforme o Sindserpi (Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Inhambupe) que protocolou o comunicado de adesão ao movimento, informou à reportagem ao RL News

[ O RL News está nas redes sociais InstagramTwitter e Facebook. Siga-nos!  ]

Segundo informações, a APLB/Inhambupe também vai aderir.

Entenda o corte de gastos na educação
No mês de abril, o Ministério da Educação bloqueou parte de recursos das 63 universidades e dos 38 institutos federais, o que dá um total de 24,84% dos gastos não obrigatórios e 3,43% do orçamento total das federais. O corte, de acordo com o Governo Federal, foi aplicado sobre gastos não obrigatórios, como água, luz, terceirizados, obras e realização de pesquisas. Já as despesas obrigatórias (86,17%), como como salários e aposentadorias, não foram afetadas. 

Leia mais notícias em  RL News e siga nossa página no FacebookTwitter e Instagram
RL News, você vê primeiro aqui!

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem